quinta-feira, 15 de abril de 2010

Pressuposição revelacional

Objetar ao cristão que a sua vida e a sua concepção da realidade se fundamentam em pressuposições de crença, supõe falta de rigor argumentativo: também os incrédulos, em todos os seus raciocínios partem de pressuposições de crenças. A diferença está na origem e na natureza destas pressuposições. As do cristão se fundamentam na informação e conteúdo da Revelação Divina, ou seja, na Bíblia; enquanto que para o incrédulo as pressuposições sobre as que edifica as suas elaborações e construções descansam em alguns pontos de partida que ele mesmo estabeleceu e aos que herdou - como resultado de uma fé humanística - como validade última. A questão, assim sendo, não é se um tem e outros não possuem pressuposições de crença, já que tanto crentes como incédulos as têm, mas o que é importante e decisivo saber qual é a origem destas pressuposições e que tipo de pressuposições de crença é capaz de elaborar uma resposta verdadeira aos enigmas e questões da realidade. Para o cristão a origem de suas pressuposições de crença é o próprio Deus - o Deus que fala e se revela -; e, no pressuposicionalismo bíblico fundamentado na revelação o cristão encontra a única e genuína resposta válida para todas as questões transcedentais sobre o seu próprio ser e acerca do mundo.


Extraído de David Estrada, La Biblia: el libro prohibido?, pág. 34-35

3 comentários:

Denilson Nunes disse...

Deus realmente é a nossa fonte de conhecimento, conhecimento verdadeiro, que nos capacita a vivermos com a mente limpa e com pensamentos saudáveis. A tradição, entretanto, tem se misturado com a revelação, de forma que muitos, ao edificar as suas vidas sobre o “evangelho”, a estão edificando sobre tradição. Será que irão resistir a um vento forte? Ainda bem que Deus, em sua misericórdia, tem um plano infalível.
Deus, porém, não deixará faltar sabedoria àquele lhe pedir com fé e sinceridade. Eis a importância da reflexão constante! Como é bom está a sós com Deus! E pedir que ele nos instrua! O evangelho puro ganha visibilidade e a nossa vida, um alicerce firme, que nos conduz de eternidade a eternidade.
Graça e paz!

Cláudio Roberto de Souza disse...

Gaspar, como sempre, muito bom. O cristianismo não é uma simples crença, uma opinião qualquer igual a outra. Os evangelhos são a base para a justiça social, a liberdade de pensamento, as relações entre estado e igreja, os direitos individuais, anteciparam em 1800 anos a base doutrinária do mundo moderno. É o único conjunto de doutrinas que liberta e dignifica a mulher na sociedade, que diz ao 'senhor' que ele e seu escravo são iguais, que delimita o trato entre os dois [mandando Onésimo de volta a Filemon, mas mandando este respeitar os 'direitos' de Onésimo! Isso é extraordinário], que liberta o indivíduo de qualquer 'carma', de qualquer insinuação sobre 'pagar por vidas passadas' ou mesmo 'por outras vidas', eita, a lista é infindável, pela Graças a Deus. "A Verdade vos libertará" não era um mero efeito de oratória.

Gaspar de Souza disse...

Amigos Denilson e Cláudio, muito obrigado a presença de vocês aqui no blog. Saibam que seus comentários são caríssimos.

Cláudio, já estamos em tempo de voltar pra gravar um Consensus, não é?

Forte abraço aos dois.

Gaspar