quinta-feira, 1 de julho de 2010

Acautelai-vos da Filosofia!

Por Greg L. Bahnsen
A Escola Secundária Cristã de Newport (ESCN) tem alguma coisa virtualmente única entre as várias escolas cristãs privadas do país. É um recurso extraordinário exigido em seu currículo – um pré-requisito para formar-se no ensino médio na quais outras poucas escolas exigem. A ESCN é única no que oferece um curso de filosofia para seus alunos da escola média.

Houve um tempo em que quase todos os colégios e universidades exigiam de seus estudantes a ter, pelo menos, um curso introdutório de filosofia. Infelizmente, muitos colégios, recentemente, têm alterado as “antiquadas” noções sobre a educação e deixou de exigir a filosofia como pré-requisito para formação. Não surpreendentemente, as faculdades americanas têm formado graduados com pouco interesse de proficiência em lucidez, consistência, força e profundidade de discernimento acerca de uma Cosmovisão. Estes formandos da Escola Secundária Cristã de Newport já estão um passo à frente de muitos estudantes de faculdades que tenham alterado seu currículo para se adequar ao tempo moderno.

Mas eles estão um passo à frente com a filosofia? Um teste freqüentemente mal usado do Novo Testamento poderia sugerir o contrário, pelo menos em primeira leitura. Em Colossenses 2 Paulo escreve: " Tende cuidado, para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo; "(v. 8) – rouba você, isto é, de " todos os tesouros da sabedoria e da ciência (v. 3) que estão depositados em Cristo. Com este tipo de aviso no Novo Testamento, por que uma Escola Cristã quer exigir o estudo da filosofia? Isto pode parecer que deveríamos evitar a filosofia!

Uma leitura mais justa de Paulo em Colossenses 2 vai corrigir nosso equívoco, no entanto. Notamos, em primeiro lugar, que Paulo não proíbe o estudo da filosofia, ao contrário, ele nos adverte sobre ela. Da mesma forma, os pais alertam seus filhos adolescentes sobre os perigos da condução, sem que proíba a utilização do carro da família. A filosofia, como carro, pode ser usada de forma construtiva ou de maneira destrutiva. Paulo adverte contra o potencial destrutivo da filosofia.
Em segundo lugar, notamos, após re-leitura, que a advertência de Paulo não é dirigida contra toda a filosofia, mas sim contra um determinado tipo de filosofia. A atenção de Paulo se concentra em um determinado tipo de filosofia que é dada uma descrição estendida: "vãs sutilezas" (vazia e enganadora); segue a "tradição humana" (as opiniões aceitas de homens), e baseia-se nos "princípios elementares do mundo "(os pressupostos daqueles que estão em rebelião contra Deus). Este é o tipo de filosofia contra qual Paulo adverte a igreja. E bem que ele deveria! Qualquer filosofia que se encaixe nessa descrição, de fato vai nos roubar os tesouros do conhecimento em Cristo.

Então, Paulo nos adverte contra a filosofia mundana a qual ele tem descrito desta forma: não é uma filosofia. Vemos, em terceiro lugar, que Paulo se refere a outro tipo de filosofia por contraste. Acima de tudo, ele objeta sobre a filosofia mundana descrito nisso: não é uma filosofia que é "de acordo com Cristo." Cristo era a vida e o amor de Paulo, o ponto de partida do pensamento e o objetivo do comportamento. Cristo era central para Paulo. Naturalmente, então, Paulo não poderia ter nada a ver com uma filosofia que não estava de acordo com regras Cristo submisso a Sua santa Palavra.

Assim, vemos que, além da filosofia mundana existe algo que pode ser chamado de "filosofia cristã” – a filosofia que é "segundo Cristo." Embora Colossenses 2 advirta os crentes sobre o potencial destrutivo de qualquer filosofia que não está de acordo com Cristo, esta Escritura realmente explica porque devemos estudar filosofia.

Nós estudamos filosofia a fim de cumprir o mandamento de Paulo com maior eficiência e clareza. Nós estudamos filosofia para se certificar de que nossos pressupostos sobre a realidade, conhecimento e ética são verdadeiramente pressupostos que honram de Cristo. Nós estudamos filosofia para ver que tipo de pensamento não seja vítima na nossa cultura. Em suma, estudamos filosofia acautelando-nos de pensar equivocado e comprometermo-nos a pensar verdade sobre o homem e o mundo.

Então, a ESCN tem um curso obrigatório de filosofia. Mesmo se não houvesse tal curso de filosofia, no entanto, ainda seria ensinada filosofia na escola. Na verdade, a filosofia é ensinada todos os dias do ano letivo nas escolas aqueles que não têm curso de filosofia. A filosofia é sempre ensinada em cada curso no currículo de uma escola. Veja, qualquer que seja o livro ou o professor de história, ciência, literatura, matemática, língua estrangeira, etc., é um reflexo de algum tipo de visão filosófica do homem, do mundo, da realidade, do conhecimento, e da vida. Essas atitudes e visões são sempre cumprindo um dever, sempre informando que é dito. Cada livro e professor de filosofia comunicam uma filosofia indiretamente.
Assim, a filosofia é ensinada em todo lugar que os estudantes têm aulas, e seria, portanto, ensinada na ESCN, mesmo que não houvesse um curso sobre o assunto. A diferença na ESCN é que vamos parar e tomar o tempo para refletir sobre a filosofia implícita que é sempre comunicada aos nossos alunos. Acreditamos que a menos que os estudantes levam tempo para refletir sobre questões importantes da filosofia (seus pressupostos e implicações), farão as decisões filosóficas naturalmente – sem o cuidado adequado ou responsabilidade intelectual.

Todo mundo faz filosofia, pois todos têm visões sobre da realidade, conhecimento e ética. A diferença entre "o filósofo" e o homem comum na rua, é simplesmente uma questão de grau. Todo mundo faz filosofia, mas nem todos tentam fazê-la bem. Na ESCN queremos parar e refletir sobre o que devemos pensar e fazer como cristãos. Queremos ser explícitos sobre a nossa filosofia, de modo que possamos ter maior garantia de que estamos fazendo boa filosofia. Só então poderemos verdadeiramente prestar atenção à advertência de Paulo para ter cuidado com a filosofia mundana, pois só então poderemos confiar de que nos comprometemos a uma "filosofia cristã".

Cuidado com a filosofia! A melhor maneira de fazer isto é estudá-la.

Fonte: Covenant Media Foundation

Traduzido por Gaspar de Souza

5 comentários:

Filósofo Calvinista disse...

Caríssimo Rev:

Como sempre, um bom texto. Quero somente fazer uma pequena observação. Antes porém, digo que entendi perfeitamente o que disse, ao se referir à "filosofia mundana" ou "filosofia cristã".Mas, Apenas para provocar:

Toda filosofia é essencialmente mundana", porque é um conhecimento 100% horizontal, isto é, produzido basecamente pelo homem, sem nenhuma forma de transcedência. Neste sentido, a filosofia é puramente humana, logo puramente "mundana". Devemos ter o cuidado ao utilizarmos o termo "filosofia cristã", porque pode dar a entender que tem alguma coisa a ver com a bíblia ou com os mandamentos do Senhor. A boa filosofia é aquela que tenta chegar o mais próximo possível da verdade (esteja ela onde estiver), com sua instrumentalidade de "desvelar" (tirar os véus que estão encobrindo o conhecimento da verdade). Ora, se a verdade está em Cristo, como cremos, e nas Escrituras, então a "boa filosofia", que é também puramente humana (e não tem como não ser, sob pena de não ser filosofia), vai, naturalmente, chegar nas mesmas respostas ou muito próximo, das fornecidas pela cosmovisão cristã/reformada. A diferença é que faz isso utilizando métodos próprios e caminhos específicos.

Espero não ter confundido seus leitores..rs... e nem mesmo "viajado totalmente na maionese"..rs...

Tudo de bom!

www.filosofiacalvinista.blogspot.com

PS: Lá no meu blog tá rolando um debate sobre o trabalho do pastor. Se puder, toque fogo lá também.rs.

Anônimo disse...

Oi pastor comente no blog do filosofocalvinista,sobre as atuaçoes de voces pastores pois todos sumiram com medo de comentar,e no assunto de silas malafaia,aguardamos voce

Anônimo disse...

Em suma filosofia é teologia só que para os impios, concordo com o filosofo calvinista no seu comentario, por que a filosfia é excelente mais a verdadeira teologia é a revelada, nas escrituras e desvelada aos eleitos a revelação crista esta sempre acima de qualquer cosmovisao, ela nao precisa de nemhum sistema filosofico, por mais que as duas procurem a verdade como diz hegel na enciclopedia das ciencias filosoficas a teologia já SUPRASUMIU TODA A EXCELENCIA DA EFETIVAÇAO DA VERDADE. FELICIDADES PASTOR MUITO BOM SEU BLOG,

Anônimo disse...

Amados,
O texto de Colossenses 2.8 parece deixar muito claro que há sim dois tipos de filosofias: uma que procede do homem, que é mundana, fruto de suas projeções intelectuais pecaminosas, e outra que procede de Cristo, em que repousam todos os tesouros da sabedoria e conhecimento.
Penso que um bom apologeta deve se esmerar no estudo da Filosofia Cristã, para poder combater a filosofia mundana.
Muito bom o artigo.
A Paz do SENHOR,
Rogério Cruz

Cesar Miranda dos Santos disse...

Texto muito bom e bem objetivo.
Esclarece a vital diferença entre a orientação bíblica de ter cuidado com a filosofia e o entendimento equivocado de que não devemos praticá-la. Concordo especialmente com a afirmação de que “Todo mundo faz filosofia, pois todos têm visões sobre da realidade, conhecimento e ética”. Devemos estudar e nos preparar para que nossa filosofia seja pautada em Cristo, “...nele radicada, e edificada, e confirmada na fé...”
Saudações fraternas,
César Miranda dos Santos