quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

A TAL "COMISSÃO DA VERDADE" e o PNDH - 3


O fantasma da ditatura de esquerda ronda o Brasil. Há uma onda de populismo na América Latina sem precedente. O pior é o uso da democracia para destruir a democracia, como se o autofagismo fosse algo normal. Tenho acompanhado a polêmica em torno do tal "Programa Nacional de Direitos Humanos 3" e sempre que ouço a expressão "direitos humanos" na boca de um esquerdista ou petista, sinto que tem cheiro de golpe. É isso que o tal PNDH III pretende. Leiam lá. Ah, o documento tem o apoio da D. Dilma Rousseff, aquela que o filho do Brasil quer para presidência. Imagine!: cerceamento da imprensa, expropriação da propriedade privadas, repressão da religiosidade popular, liberação do aborto, da adoção de crianças por parte de "dupla" homossexual etc., etc.
Estas coisas não acontecerão sem que o "revanchismo" esteja operante. A primeira coisa a ser feita é desmoralizar os Militares (o que já tem acontecido) e, agora, é intimidá-los (péssimo negócio, mesmo assim). Pretendem insinuar que os defensores da Pátria são os Esquerdistas, e não os Militares, como reza a Constituição. Para isso, criaram uma "Comissão da Verdade"(tô segurando para não rir), para rever a Lei da Anistia.
O Jornalista Reinaldo Azevedo tem feito um trabalho e tanto para demonstrar as incoerências e o que está por trás de ambos. Abaixo um breve artigo sobre a tal "Comissão da Verdade "(hahahaha). No post acima um sobre o PNDH - 3. O fantasma do "bolivarianismo" ronda o Brasil. Esteja vigilante!
_______________________________________________

Comissão da verdade, a farsa sem limites


Por Carlos Vilmar

O decreto presidencial articulado e planejado pela esquerda marxista que está no poder e que tem como uma das metas a criação da “Comissão da Verdade” deixa explícito que os militares brasileiros continuam a ser o alvo da utopia derrotada em 1964. O decreto, sem meias palavras, escancara um dos objetivos da “Komissão”, o de sufocar pelo aviltamento a única Instituição Brasileira capaz de impedir que a Nação Brasileira seja novamente agredida por ações contrárias a democracia. A eterna retórica de descortinar o passado para que as ações ilegais praticadas não se repitam no futuro e o discurso de busca por justiça é hipocrisia pura. As ações políticas dos comunistas nas últimas décadas esfacelam estes argumentos, pois, jamais, em 25 (vinte e cinco) anos de governo civil fizeram um único movimento em direção da paz nacional visualizada pela lei da Anistia, o manifesto dessa gente sempre foi no sentido de ofender, desmoralizar e enfraquecer as Forças Armadas. No período pós-governos militares o foco das ações dos derrotados pela contra-revolução militar, usando a pressão do poder político alcançado, foi a busca incansável da vingança contra os militares e o recebimento de indenizações milionárias. Não é por acaso que as Forças Armadas estão sucateadas. Estes são os fatos políticos, tudo o mais e conversa e encenação. A Comissão da Verdade é uma grande mentira. Não dá para acreditar que pessoas que mentem sobre os verdadeiros objetivos da luta armada no Brasil, nos anos 60/70, tenham a intenção legitima de buscar a verdade sobre os fatos ocorridos naqueles anos. Afinal, qual a verdade que buscam? A história do período da contra-revolução nunca foi negada pelos militares, eles sempre afirmaram que são a favor da abertura de “todos” os documentos da época. A esquerda comunista é que nega a verdade à sociedade brasileira, insiste em mentir que lutava pela democracia e esquece as atrocidades que cometeu. Seria oportuno que diante da tal “Komissão” esse pessoal dissesse o verdadeiro significado da luta armada no Brasil, ou seja, dizer que o discurso democrático é e sempre foi mentiroso. Contar para o país que a motivação da guerrilha, dos seqüestros e dos assaltos a bancos, que resultaram no assassinato de inúmeras pessoas inocentes, era o de transformar o país numa ditadura comunista, falar que o lema de combate dos terroristas era o de sempre matar o inimigo, no caso, os irmãos brasileiros contrários a sua ideologia. É importante que a sociedade preste atenção no que está acontecendo no campo político, pois, com certeza, o objetivo da “Comissão da Verdade” vai além da manifesta perseguição aos militares. Se o objetivo é a justiça como o grupo comunista que está no poder explica o desprezo pelas vitimas do terrorismo no Brasil, sempre ignoradas pelos governos da esquerda? Que justiça é essa? As mortes do Soldado Mário Kosel Filho, de 18 anos, estraçalhado por um carro bomba jogado contra o quartel por um grupo de terroristas da VPR e do Tenente Alberto Mendes Junior (PM), morto a coronhadas pelo grupo de Lamarca, após se oferecer como refém em troca da não captura da tropa que comandava, são a parte da história que os ex-terroristas não lembram quando falam em busca da verdade. Estes são apenas dois dos atos de terrorismo praticados pelos comunistas brasileiros, a relação dos crimes é bem mais extensa. Por outro lado, se o foco são os direitos humanos, é importante que o país saiba que em presídios brasileiros, alguns presos, para não morrerem, vendem as esposas e filhas para serem usadas sexualmente. E isso é apenas um nódulo na realidade carcerária. Será que os defensores dos direitos humanos conhecem a situação calamitosa dos presídios nacionais? Ou será que, no Brasil, só os terroristas, seqüestradores e assassinos que participaram da luta armada pelo comunismo têm direitos? A democracia que sonhamos é diferente, é completa, é para todos. O histórico das ações políticas dos comunistas no Brasil garante que a tal “Comissão da Verdade” não busca o bem da Nação, assim como as pessoas que a planejaram também não querem o melhor para o país e nunca quiseram, estão pensando somente neles mesmos. O fanatismo ideológico não permite que aceitem a derrota que sofreram diante dos verdadeiros defensores da pátria, os militares. Nem mesmo a queda do muro de Berlim os fez voltar à razão, continuam a viver um sonho maluco. O grupo de ex-terroristas que está no poder se dedica, calculadamente, a implantar suas idéias marxistas no seio da Pátria Brasileira, querem remexer no passado com o intuito de enfraquecer as Forças Armadas no presente. O único objetivo dessa gente é o poder, não importa o preço que o país e a sociedade terão de pagar, a ideologia é a sua pátria.

Fonte: Portal Ternuma (Terrorismo Nunca Mais)

3 comentários:

Marcos Vasconcelos disse...

Quando esses caras falam em "verdade" estão defendendo a mentira pura. O pior é que nem são criativos, pois "verdade" era o nome do jornal oficial da falecida(?) URSS: Pravda. Não conseguem esconder as origens. Certo estava o "profeta" George Orwell no seu livro "1984" qdo se referiu à novilíngua do Grande irmão (Vale à pena ler tb a sua parábola sobre a revolução socialista "A Revolução dos Bichos").

James (??????) disse...

Muito bom seu comentário, é exatamente isto que penso e o que o nosso país deve (ou devia pensar). Grande abraço James

Paula Fernanda disse...

Como o senhor é culto! Já leu 1984!! e A revolução dos Bichos...
tente pesquisar agora sobre justiça de transição e o papel importante que tiveram as comissões de verdade na África do sul...depois quem sabe batemos um papo "clichê"...