segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

PASTOR DA ASSEMBLÉIA DE DEUS CONVERTE-SE AO ISLAMISMO

Apostasia é a marca principal dos últimos dias. Ou seja, não é o desaparecimento da Religião, mas o crescimento das Religiões Falsas e da Falsa Espiritualidade. O Advento da Razão não anula o que há de mais intríseco no Ser Humano: A Religiosidade. Na época do Apóstolo Paulo, a Cidade da Razão era Atenas que, 4 séculos após Sócrates, Platão e Aristóteles, ainda mantinham seus deuses, até mesmo um desconhecido. Não é possível anular o sensus divinitatis do Homem, pois é a imagem de Deus nele. Porém, como num processo entrópico, o Homem vai do Deus Verdadeiro para os falsos deuses (Rm 1. 18 - 32); o Homem deixa o Deus Verdadeiro e estriba-se no seu próprio caminho, pois acredita que a sabedoria humana é mais sábia que a sabedoria de Deus. Sei que algum leitor possa, imbuído do espírito pós-moderno, dizer que todas as religiões são iguais.

No caso em questão, trata-se do conflito entre Cristianismo e Islamismo. Ambas as religiões NÃO ensinam as mesmas coisas sobre Deus. Por exemplo, embora ambas façam afirmações monosteísticas, o Islamismo é Monoteísta Absoluto, não havendo ninguém com Aláh, antes ou depois dele. Já o Cristianismo é Trinitário, isto é, de fato existe apenas um Deus, porém, este Deus encontra-se em três pessoas - Pai, Filho e Espírito Santo, que estavam enternamente juntos (ver nota final). O deus do Islã não é o deus do Cristianismo, pois aquele não tem filhos, enquanto no Cristianismo Deus tem um Filho, da mesma essência, Jesus Cristo.

A matéria abaixo é sobre um ex-pastor da Assembleia de Deus que converteu-se ao Islamismo. Não seria estranho se o pastor não fosse nada menos do que o presidente das Assembleias de Deus - Ministério Madureira - na Paraíba, por 15 anos à frente da denominação. Sabemos que as Assembléias não tinham tradição na educação teológica até pouco tempo (graças a Deus isto tem mudado!). Não é de estranhar que muitos que estão à frente de igrejas, pessoas sinceras, piedosas, mas sem discernimento teológico, não sabendo discorrer sobre os pontos básicos da Fé Cristã. Não quero dizer também que apenas os leigos são passíveis de apostasia. Não. Algumas mentes brilhantes têm abandonado a Fé Cristã e ingressado seja em falsas religiões ou filosofias, como foi o caso do ex-pastor Dan Baker que tornou-se "Ateu".

Não conheço o ex-pastor João de Deus Cabral ou sua formação. Mas, pelos relatos lidos, foram questionamentos sobre "o Natal" e a "Trindade" que o conduziram para fora do Rebanho de Cristo. Não são questionamentos que alguém bem treinado numa EBD não pudesse responder. A tese constantina não se sustenta, pois o argumento da associação pode ser usado para qualquer lado no debate.

Rogo ao Deus e Pai do Senhor Jesus Cristo que misericórdia do ex-pastor João de Deus e ele volte ao Caminho.
___________________________

Muitos fatos marcaram a permanência do Pastor João de Deus Cabral a frente da Assembleia de Deus de Madureira na Paraíba. Presidente da Igreja na Paraíba e Secretário Nacional da Igreja no Brasil durante 15 anos, não foram suficientes para ser arrebatado ao Islamismo e servir ao Deus Allah.

A revelação foi feita por João de Deus Cabral durante a madrugada deste sábado ao Programa Sales Dantas na TV Litoral/TV Diário. João de Deus agora tem como principal objetivo de sua vida será servir a Alá e construir uma mesquita nos próximos meses na Paraíba.

João de Deus revelou que durante muito tempo servindo na Assembleia de Deus e proferindo palestras pelo Brasil, sempre era indagado sobre o significado do Natal, sobre a Santa Trindade. Essa busca e interrogações levaram a um estudo interno e a busca pela verdade. Viajou por vários países e chegou a conclusão após 5 anos que não existe a Santa Trindade e que o natal não representava o nascimento de Cristo. Para João de Deus, nome de batismo mesmo, essas datas foram criadas por um imperador de Roma, como forma de estabelecer uma data única que comemorasse dia 25 de dezembro o dia do Deus Sol, mudando logo após para chamarem de nascimento de Cristo, o sol da justiça.

O ex-pastor da Assembleia de Deus na Paraíba agora se diz agora muçulmano porque não é contra os Profetas Abraão, Jacó, Isaac, Ismael, Moisés ou Jesus (que a paz esteja com todos eles), mas porque vai procurar seguir os ensinamentos recebidos por eles revelados pelo nosso Único Deus, o Altíssimo.

Sou muçulmano não por imposição ou submissão a qualquer lei humana, mas porque aprendi a submeter-me voluntariamente a vontade de um Deus amoroso, que embora não seja meu pai, age muitas vezes como tal admoestando-me através de suas palavras presentes em seu Alcorão. Pois Ele é Clemente e Misericordioso. Não porque eu é que seja superior a ele, mas porque Allah é muito superior a nós dois. Allah hu Akbah! (Deus é Maior!).

João de Deus aproveitou para convidar a todos para uma palestra Palestra sobre a Fé e Crenças Islâmicas, que será realizada no próximo dia 30 do mês em curso, no Auditório do Hotel Xênius, localizado na Praia de Cabo Branco, que será proferida pelo Sheikh Mabrouk El Sawy Said, dirigente do Centro Islâmico do Recife.

Fonte: Clickpb
____________________________

Nota sobre a Triunidade Divina.

Na pergunta 6 do Breve Catecismo de Westminster: Quantas Pessoas há na Divindade, tem como resposta: “Há três pessoas na Divindade: Pai, Filho e Espírito Santo, e estas três são um Deus, da mesma substância, iguais em poder e glória”.

Nenhuma doutrina sofreu tanta oposição quanto a Doutrina da Tri-Unidade Divina. Entre as acusações contra esta Doutrina está a de que ela não é encontrada na Bíblia. Na verdade, ela não está sistematizada nas Escrituras, mas está, sim, revelada. Sigamos o exposto nas Escrituras:

1) Ela revela que existe um só Deus – isto é inegável como afirma Gn 1.1; Dt 6.4; Jo 17.3; Tg 2.19. Afirmar o contrário é ser politeísta, isto é, defender que existe mais de um deus.

2) As Escrituras revelam que Deus é Pai (1 Co 8.6) e disto ninguém, nem mesmo os que negam esta Doutrina [da Tri-Unidade], discordam. O impressionante é que:

3) A Escritura também chama o Filho, Jesus Cristo, de Deus, e também diz que Ele não é o Pai, mas distinto deste (Jo 1.1, 18; 10.30; 20.28; At 20.28; Rm 9.5; Tt 2.13; 2 Pe 1.1; 1 Jo 5.20) e que:

4) A Escritura também chama o Espírito Santo de Deus, embora o faça distinguindo-O do Pai e do Filho (At 5.3, 4; Mc 3.28 – 30; 1 Co 3.16; 12.4-6).

Um simples exercício de pensamento:

Não são três deuses, pois contrariaria a proposição (1);

Não são a mesma pessoa, isto é, como um ator que muda de roupa, pois isto contraria a (3) e (4) proposições.

Estas proposições são reveladas nas Escrituras.

Desta forma, não é difícil dizer que Deus é “Pai, Filho e Espírito Santo”. A única resposta possível a isto é explicação na Doutrina da Trindade. Em outros termos poderíamos discorrer sobre a necessidade teológica e filosófica da Doutrina Cristã da Triunidade Divina, mas nos redenderia mais tempo, o qual não disponho tanto.

Postado por Gaspar de Souza

4 comentários:

Edmario Brito disse...

Nós temos um nivel de conhecimento muito limitado para entermos a Trindade, e explicá-la com bastante definição. Infelizmente muitos não sabem distiguir Pessoa de Essência.Três Pessoas e Uma só Essência: o Pai 100% divino, o Filho 100% divino e o Espírito Santo 100% divino; os três agem justos, os três não tem inicio e nem fim porque em Essência são o mesmo Deus (Deus na Biblia significa poder, e não uma só pessoa). O homem não pode reconhecer essa verdade sem a fé genuína. A confusão está na siginificação e interpretação de algumas palavras que aparecem na Bíblia. O homem atribue ao nome Deus como titulo que só pode ser dirigido ao ser supremo - por isso Deus se mostra como tal, porque o homem não entenderia se Jeová se revelasse a nós como se revela aos demais seres espirituais que assistem a Sua glória desde a eternidade passada.

Marcos Vasconcelos disse...

Pr. Gaspar, com relação à Trindade, esse mistério que só mesmo a mente divina pode compreender, aprecio da síntese apresentada na TS de Wayne Grudem, conforme a encontrei compilada no blog Graça Prístina (trindade) do tradutor Rogério Portella: (1) Há um só Deus;
(2) Deus é três pessoas; e (3) Cada pessoa é plenamente Deus
. Ponto.
Cordial abraço.

rodolfo disse...

Se esse homem não se converter ao verdadeiro Deus, naquele grande dia do julgamente final, ele terá como sentença o seguinte relatório: Desce esse escorrego pra tomar banho de larva, cafezinho quente, colírio de pimenta, perfume de enxofre e escutar uma musiquinha que diz assim: ai ai ai ui ui ui.
Se liga crente, pra não acontecer o mesmo com você, porque quando o crente não se firma na rocha ele fica assim volátil
acreditando em qualquer vento de doutrina.
Tambem está escrito que no final dos tempos muitos apostatarão de sua fé.

Anônimo disse...

É muito facil entender essa confusão......a Biblia não pode ser tão lavada em conta por se tratar de um livro que foi escrito pelo homem.....a tradução é simplesmente a interpretação de quem a traduziu....esse assunto tem quer ser discutido por escrituras originais dentro do seu real idioma e não sobre o que um autor interpretou quando a traduziu.....agora pergunto onde conseguimos essas inscrituras originais?....